Setembro Dourado: mês de conscientização sobre o câncer infantil e juvenil

Assim como o outubro é rosa e o novembro é azul, para ações de prevenção do câncer de mama e do câncer de próstata, o SETEMBRO é DOURADO, mês dedicado à conscientização sobre o câncer infantil e juvenil.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer – INCA, no Brasil, o câncer já representa a primeira causa de morte por doença de 1 a 19 anos.  No entanto, há alguns aliados que podem contribuir para que essa realidade seja diferente. Estamos falando de pessoas como pais, professores, babás, avós, enfim, todos que convivem diariamente com crianças e adolescentes.

Como identificar o câncer na infância e na adolescência

Identificar o câncer na infância e na adolescência não é uma tarefa fácil. Isso porque os sinais e sintomas se confundem com os de outras doenças. Entretanto, a oncopediatra, Sabrina Eleutério, explica que a diferença está na persistência. “É comum que crianças tenham febre, sintam dores nas pernas e outros inúmeros sintomas típicos da infância. No entanto, sinais e sintomas que persistem e que são combinados a outros, sejam eles aparentes ou de comportamento, o recomendado é levar ao pediatra para avaliar”. Foi o que fez Thaís Danielly Mendes, mãe do pequeno Arthur, de apenas quatro anos.

“Em maio de 2018 Arthur começou com uma febre alta que não passava. Preocupada, levei ele ao pronto atendimento e ao ser examinado o médico identificou que ele estava com infecção de garganta. Até aí tudo normal para uma criança da idade dele. Voltamos para casa para começar o tratamento com antibiótico. Tudo se normalizou, mas após dois dias, a febre retornou.” Sabendo que não era normal o retorno da febre, Thais voltou ao médico, já com o resultado de um hemograma em mãos.

“Como o exame estava bastante alterado e Arthur já estava  queixando de fraqueza e muitas dores nas articulações, o médico achou melhor internar ele para fazer novos exames e avaliar melhor. Depois disso, Arthur foi encaminhado para a Santa Casa de Montes Claros com suspeita de leucemia. Isso foi o suficiente pra deixar toda a família em desespero. A suspeita foi confirmada e deu-se início ao tratamento após 11 dias do início dos sintomas”.

– Thaís Danielly Mendes

Chances de cura

Thais Daniely com o filho Arthur, que está em tratamento desde maio de 2018

O caso do Arthur é um exemplo claro de diagnóstico precoce. Com um tratamento de qualidade, a chance de cura dele é bem considerável, pois, segundo o INCA, em torno de 80% das crianças e adolescentes acometidos de câncer podem ser curados, se diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados, obtendo uma boa qualidade de vida.

É por mais histórias de sucesso de diagnóstico precoce como essas que instituições de apoio, como a Fundação Sara, disponibilizam conteúdos gratuitos, que ajudam a identificar os sinais e sintomas da leucemia e de inúmeros outros tipos de câncer na infância e na adolescência. Além de disponibilizar esse tipo de conteúdo, a Fundação Sara também disponibiliza palestras gratuitas e custeia exames para agilizar o diagnóstico da doença.

“Nós temos o  Programa Agilizar que cobre essa demanda. O cariótico e a imunofenotipagem são alguns dos exames que custeamos.”

– Silvana Amorim, gerente geral.

Veja como apoiar a campanha Setembro Dourado junto à Fundação Sara

O Setembro Dourado é uma iniciativa da Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer – CONIACC, entidade que congrega instituições espalhadas por todo o Brasil. As instituições afiliadas, como a Fundação Sara,  replicam a campanha em suas regiões.

Compartilhe: