Juliany Nunes - Psicóloga

Quando me propus a trabalhar na Fundação Sara, acreditava que seria uma experiência significativa “ajudar” as famílias. No entanto, descobri que eu precisava passar por essa experiência de vida para meu próprio crescimento profissional e pessoal.  Acompanhar o crescimento da Fundação é ver DOR transformada em AMOR o tempo inteiro. Acredito que o crescimento, reconhecimento e missão da entidade não seriam possíveis sem a experiência pessoal vivida por Álvaro e Marlene. A vivência deles com o câncer possibilita que sejamos orientados a cuidar de todos os detalhes, onde cada um de nós é estimulado a pensar na qualidade da assistência dada a essas crianças de acordo com o que desejamos para nossos próprios filhos.

O desejo de ser mãe foi despertado em mim a partir das experiências vivenciadas na Fundação Sara, especialmente com Taty e Miguel, assistidos da Fundação. Fui agraciada e escolhida por Deus para cuidar de três anjos aqui na terra, meus trigêmeos Francisco, Luiza e Mel. Com o nascimento prematuro deles, mais uma vez a Fundação Sara se tornou fundamental. O convívio diário com a luta e a coragem dessas mães para cuidar dos seus pequenos me fortaleceu para suportar aqueles longos 40 dias de UTI e internação dos meus filhos. Hoje entendo que o amor materno nos torna mais forte. Além disso, senti a mão de DEUS em cada momento de dor e incerteza que vivenciei. 






Mais Depoimentos



  • Ana Paula Pedrosa - jornalista

    Ana Paula Pedrosa - jornalista

    Nos últimos anos, tenho aprendido muito na Fundação Sara Albuquerque Costa, conversando com voluntários, pais, médicos e, principalmente, aprendendo....


  • Evandro e Solange Magalhães

    Evandro e Solange Magalhães

    Acompanhamos e, portanto, conhecemos a história da Fundação Sara e a consideramos uma das obras mais dignas que vimos....